Bem-estar eudaimônico e saúde

Tempo de leitura: 3 minutos

Hoje, quero trazer a transcrição de uma entrevista dada pelo Prof. Dr. Steve Cole no Positive Psychology Tour 2019, a respeito de bem-estar eudaimônico e saúde.

Steve é professor de medicina, psiquiatria e ciências biocomportamentais da Escola de Medicina da Universidade da Califórnia em Los Angeles.

Suas pesquisas consistem em utilizar bioinformática genômica para mapear como ambientes sociais influenciam a expressão gênica de células cancerígenas e imunológicas e a replicação dos vírus.

É pós-doutor em neuroimunologia, pioneiro no campo de genômica social e é diretor do Núcleo do Laboratório de Genômica Social da UCLA.

Foram feitas duas perguntas a Steve no Positive Psychology Tour, e trago a transcrição de suas respostas abaixo:

Como a positividade afeta nossos genes e saúde?

“Sabemos que existe uma relação entre positividade e saúde por conta de estudos epidemiológicos.

Esses estudos apontam que pessoas com níveis elevados de positividade têm níveis menores de uma gama de doenças e, inclusive, vivem mais.

Assim, me interessei em pesquisar e entender, num nível biológico, como isso acontece.

O que foi descoberto?

Nesse contexto, nossos pesquisadores descobriram que fatores de risco, tal como solidão, estão associados com níveis mais altos de inflamação e níveis mais baixos de resposta antiviral.

Outros perfis semelhantes são encontrados em:

  • pessoas que passaram por outros tipos de adversidade, tais como pobreza, exposição à guerra ou separação conjugal
  • pessoas expostas a estresse a longo prazo, ameaça ou incerteza

A partir disso, começamos a nos perguntar que pessoas não possuem esse mesmo perfil, porque nossa intenção é de preveni-lo.

Como é possível ter um melhor perfil biológico?

Por exemplo: uma das melhores maneiras de procurar por fatores que promovem resiliência é estudar pessoas que são resilientes por natureza.

Assim, encontramos uma mensuração de bem-estar eudaimônico, o tipo de bem-estar que vem quando colocamos nossas virtudes em ação.

Essa mensuração, de fato, previu expressão genética mais baixa de fatores causadores de inflamação e maior de fatores antivirais.

A partir disso, tivemos o apontamento de que a Psicologia Positiva poderia ser um fator de proteção ou de resiliência por meio do bem-estar eudaimônico.

Esses estudos foram correlacionais, então não somos capazes de afirmar se:

  • bem-estar eudaimônico prevê melhor saúde ou
  • melhor saúde permite que você engaje mais em atividades significativas, relacionadas ao bem-estar eudaimônico

Assim, nos interessamos em pesquisar como poderíamos criar mais bem-estar eudaimônico e como isso afetaria os genomas.

Estudos preliminares apontam que pessoas que foram aconselhadas a realizar atos de gentileza tiveram redução no perfil biológico de ameaça que falamos acima.

Dessa maneira, a grande pergunta que pretendemos responder com as pesquisas atuais é: como o bem-estar eudaimônico reduz o perfil biológico criado por exposição à ameaça?”

Como melhorar nosso bem-estar eudaimônico e nossa saúde?

“Diversos estudos apontam que pessoas que estão engajadas em atividades que fazem sentido para elas, especialmente relacionadas a ações pró-sociais, possuem efeitos favoráveis em sua biologia molecular.

De maneira geral, o mais próximo que podemos prescrever é:

  • engajar com coisas que você se importa e valoriza;
  • tentar criar um mundo melhor ou gerenciar um negócio de uma maneira melhor;
  • cuidar de seus familiares;
  • comprometer-se com esses objetivos.”

Fonte

Transcrição de entrevista de Steve Cole para o Positive Psychology Tour 2019, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=b4KbHNErzPg.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.