Bullying & cyberbullying

Tempo de leitura: 2 minutos

Para entendermos o processo de bullying, precisamos ter em mente que a prática é uma dinâmica de grupo e, sendo assim, sempre existirão três agentes:

  • Aquele que faz o bullying, o agressor;
  • Aquele que recebe o bullying, a vítima;
  • Aquele que assiste, a plateia.

O bullying é uma consequência de necessidades não atendidas; quando tais necessidades não são expressadas e atendidas de modo construtivo, o indivíduo irá expressá-las através de um modo negativo, ou seja, através da hostilização.
Os três participantes estão demonstrando suas carências, e, assim, a dinâmica grupal é perpetuada.
Agora que já sabemos o que é o bullying, vamos entender o que é o cyberbullying e qual a diferença entre os dois.

O bullying virtual: Cyberbullying

O cyberbullying é a amplificação do primeiro – é muito pior e não acaba.
Muitos anos atrás, antes da internet, a provocação acabava quando o jovem saía da escola e ia para casa. Longe da escola, ele brincava, se divertia e, assim, criava um “amortecedor” para o sofrimento causado pelos opressores. Além disso, a agressão e a humilhação eram contidas; a vítima era exposta somente ao grupo da escola.
Hoje as coisas são diferentes. Nesse tempo de redes sociais, a violência não acaba – ela persegue o indivíduo até no conforto e segurança de sua própria casa. Os momentos do jovem sendo humilhado são filmados, compartilhados e assistidos milhares de vezes; seu nível de exposição aumenta em proporções gigantescas.
Assim, o estresse e dor emocional são constantes, pois não há um “amortecedor”, não há um período de liberdade, um período de paz. A vítima está sendo agredida continuamente.
Para evitarmos o cyberbullying, precisamos, primeiro, conter o próprio bullying.

Como acabar com as agressões?

Se faz necessário instituir espaços de auxílio e de escuta dentro dos ambientes nos quais a agressão ocorre. A promoção de uma cultura na qual se fala de emoções é fundamental.
Através dessas atividades, a angústia sentida pelos agentes não será mais manifestada através do comportamento nocivo.
Falar de saúde emocional, sistematicamente, acaba com o bullying.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.