Como ensinar autocontrole

Tempo de leitura: 8 minutos

Técnicas de autocontrole, indiscutivelmente, são a melhor herança que podemos deixar às nossas crianças.

Isso porque habilidades de autocontrole são fundamentais para agir com responsabilidade.

O autocontrole requer a percepção dos próprios estados emocionais e a regulação dos estados emocionais percebidos, componentes essenciais para a educação emocional.

A seguir, apresentarei algumas técnicas eficazes para o autocontrole.

História da tartaruga

Primeiramente, conte a seguinte história para as crianças ou peça que elas a leiam.

Esta é uma história de uma tartaruguinha que gostava de brincar sozinha e também com os amiguinhos. 
Gostava de ver desenhos e de muitas coisas, mas não gostava muito de ir à escola.
Ela não gostava de ficar ouvindo por longos períodos a professora falar, isso era muito difícil para ela.
Era comum a tartaruguinha ficar zangada com os amigos.
Os amigos pegavam o lápis ou a empurravam ou a incomodavam de algum modo e, quando isso acontecia, a tartaruguinha revidava, dizia coisas feias aos amigos e às vezes até batia neles.
Assim, as outras tartaruguinhas não queriam mais brincar com ela, e ela ficava sozinha e muito aborrecida, chateada, com raiva, confusa e também muito triste, porque não conseguia se controlar e não sabia como resolver esse problema.
Até que um dia ela conheceu uma tartaruga sábia, que tinha 300 anos. Ela perguntou à tartaruga sábia: "O que fazer? A escola é um problema para mim, não consigo me comportar".
A tartaruga sábia respondeu: "Você já tem a solução, é o seu casco! Quando se sentir muito irritada ou quando estiver com muita raiva, entre no seu casco.
Quando estiver dentro do casco você pode se acalmar.
Quando eu entro no meu casco, eu faço três coisas: digo a mim mesma que eu tenho que parar, respiro fundo mais de uma vez, se for preciso, e digo a mim mesma qual é o problema."
As duas praticaram a ideia.
No dia seguinte, a tartaruguinha foi à escola e uma amiguinha começou a incomodá-la.
Ela sentiu a raiva crescendo dentro dela, então, lembrou-se do que a tartaruga sábia lhe ensinara e entrou no seu casco, onde era tranquilo. Começou a respirar profundamente e pensar no que deveria fazer. Quando saiu do casco, viu a professora sorrindo.
Assim, ela está aprendendo a controlar-se e a fazer mais amigos.
Fonte: História do programa PATHS de Mark Greenberg.

Em seguida, peça para as crianças encenarem a história: um dia uma criança faz o papel da tartaruga, outro dia é a professora, outro dia é a tartaruga sábia…

Ainda, ensine as crianças a imitarem a tartaruga, cruzando os braços na altura do peito e respirando profundamente.

Assim, com esse exercício, a criança aprende a perceber seus sentimentos antes de comportar-se de maneira destrutiva.

Dessa forma, a professora pode recompensar a criança com um adesivo de tartaruga quando perceber que ela conseguiu se controlar.

Método do semáforo do autocontrole para crianças

Nesta atividade, criada por Roger Weissberg e seus colegas da Universidade de Yale, deve-se estabelecer zonas de paz na sala, sinalizadas com pôsteres de semáforo para a melhor compreensão da criança.

Dessa maneira, cada uma das luzes do semáforo representa um passo no processo de aprendizagem do autocontrole.

  • Vermelho: respirar profundamente e formular o problema e a forma como se sente
  • Amarelo: pergunte-se “o que fazer?”, “isso irá funcionar?”
  • Verde: experimentar a melhor ideia e verificar o resultado

A luz vermelha representa o PARE, traz uma inibição comportamental, ativando o circuito pré-frontal, que é capaz de controlar os impulsos da amígdala cerebral.

Ela passa esta mensagem: “Acalme-se: você pode modificar seu comportamento para melhor. Você não consegue controlar o que vai sentir, mas pode controlar seu comportamento”.

A luz amarela implica pensar nas várias possibilidades do que fazer e em suas consequências (neste ponto, o professor/pais emprestam seu cérebro maduro para falar nas consequências que surgirão diante do mau comportamento).

A luz verde sinaliza “faça o que é certo! Faça e verifique as consequências”.

A ideia principal desta técnica é lembrar que as emoções transmitem informações e, assim, quando sentimos uma emoção, devemos parar, acalmar-nos e nomear a emoção.

Ainda, na condução do exercício, é preciso reforçar para as crianças a importância da expressão de como se sente, tanto com os outros quanto consigo mesmo, bem como ensinar o significado da luz vermelha e da amarela.

Deve-se, além disso, gerar soluções alternativas e exercitar o aprendizado por meio do role playing (dramatização).

Método do semáforo para adolescentes

A ideia do semáforo pode não “pegar bem” para os adolescentes.

Nesse caso, eu sempre digo a eles que eles aprenderão a técnica do semáforo para poder ensiná-las às crianças menores e que, por isso, terão que treinar bastante.

Assim, eu sugiro aos maiores que, um dia, dirijam-se até uma sala dos pequenos para ensinar uma dupla de crianças a confeccionar seu semáforo.

Essa ideia de ser monitor é algo de que eles gostam. A mensagem de ensinar está sendo passada e, quando eles têm a expectativa de que aquilo que eles estão aprendendo terá que ser ensinado a alguém, o aprendizado é mais internalizado ainda.

Depois da aula em que explico a ideia do semáforo, peço para eles próprios construírem um semáforo teen.

Cola mental

Nesta atividade, introduza o assunto dizendo aos alunos que nosso cérebro tem poderes incríveis e que podemos usar esse poder mental a nosso favor.

Em seguida, diga que, nesse dia, eles vão conhecer a cola mental.

Peça para as crianças entrelaçarem as mãos e focalizarem toda sua atenção nelas.

A seguir, comece a dizer, com entonação de mistério:

  • agora, vamos conhecer o poder da mente
  • vou usar minha cola mental
  • é uma cola muito forte
  • poderosa (repetir)
  • é impossível soltá-la (repetir)
  • vou contar até cinco:
    • está sendo grudado
    • muito grudado
    • é impossível soltar
    • muito colado
    • com todo poder mental

As crianças terão dificuldade para soltar suas mãos.

Para soltá-las, é só fazer o exercício inverso:

  • uso meu poder mental para desgrudar
  • confortavelmente
  • tranquilamente
  • minhas mãos vão se soltando
  • vou contar de cinco a um:
    • vão se desgrudando
    • tranquilamente
    • confortavelmente
    • minhas mãos vão ficando soltas
    • soltinhas, usei meu poder mental

Ensino muito a cola mental para minhas crianças e meus adolescentes que têm problemas de agressividade.

É uma forma de autocontrole.

Assim, eles não agridem os outros e não se prejudicam ainda mais.

Brincadeira de estátua

Esta brincadeira pode funcionar como uma técnica lúdica de autocontrole, ajudando a criar, no cérebro, circuitos para o controle dos impulsos, pois deve-se manter imóvel, enquanto outra criança faz de tudo para que ela se mexa.

Além disso, quando brinco de estátua, costumo inserir as forças pessoais, ou seja, é uma “estátua temática”.

Por exemplo, “agora uma estátua da força pessoal de João, que é gratidão”.

Além de ser uma técnica de autocontrole, esta brincadeira gera muita emoção positiva, pois as crianças e os adultos fazem estátuas muito engraçadas.

É risada na certa e faz muito sucesso em sala de aula.

Imitando o gato

Este exercício é para a concentração, que é muito importante para o autocontrole.

Primeiramente, conte para a criança que o gato é um exemplo de concentração, pois quando quer caçar alguma coisa, ele fica em sua posição de ataque, totalmente focado e relaxado, pronto para dar o golpe.

Para aprender a concentrar-se imitando o gato, diga para a criança ficar de joelhos, com as mãos no chão em frente ao corpo e com os braços esticados.

Peça a ela que arqueie as costas como um gato, formando uma curva com os ombros e a cabeça.

Ela deve manter-se nessa posição por um momento.

Depois, peça a ela que relaxe as costas e arqueie o tronco para dentro o quanto conseguir, com a cabeça e o peito levantados.

Em seguida, diga que ela deve pegar uma bolinha somente com um golpe certeiro, como o gato.

Outras ideias

Lembro-me de uma campanha publicitária que contava com lutadores de MMA, na qual eles pediam para contar até dez, com o seguinte slogan: “a raiva passa e a vida fica”.

Esses tipos de vídeos são ótimos para se propor temas em rodas de conversa com os adolescentes sobre a importância do autocontrole.

Eu apresento os ingredientes para o autocontrole: acalmar-se, falar o que aconteceu ou como está se sentindo, pensar nas possibilidades e fazer o que é mais respeitoso.

A partir das ideias geradas, a gente constrói o método que eles criaram.


Nos dias 5, 6, 7 e 8 de julho acontece o evento 100% online e gratuito Jornada da Educação Emocional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.