Você deixaria seu filho ir a pé a outro país?

Tempo de leitura: 1 minuto

Internet e crianças: esse é o assunto da postagem de hoje.

Confira o quero dizer com essa pergunta, que parece até absurda.

Crianças na internet

Responda: você permitiria?

Creio que a resposta seja não.

Mas é exatamente isso que você faz quando não supervisiona e monitora o que ele acessa.

Ainda vejo muitos pais caindo no erro de não transferir os cuidados que se tem na vida real para o acesso online.

Na vida real existem perigos e pessoas mal intencionadas, e na internet há muito mais!

Existem também pessoas que entendem de tráfego de informações, algoritmos e meios de acesso, coisas que talvez você nem faça ideia que existam.

Essas pessoas também entendem sobre as facilidades de acesso que fazem com que até um chimpanzé consiga se conectar e assistir – sinto muito em lhe decepcionar: não é seu filho que é tão esperto que sabe mexer em tudo, os aparelhos é que são elaborados para que qualquer um consiga.

Atenção sempre, porque há muita persuasão disfarçada de conteúdo.

E não é porque seu filho é um nativo digital que ele tem discernimento.

Na internet funciona assim: qualidade e liberdade são objetivos conflitantes e na maioria da vezes não andam juntos.

Nossas crianças tem muito tempo livre diante da telinha e, com certeza, nem sempre estão vendo conteúdos de qualidade.

Cuidado!

Diálogo, orientação e monitoramento são papéis dos pais e dos adultos que cuidam da criança.

Não espere que ela vá a pé até outro país e volte ilesa. Isso é uma ilusão sua.
E na internet é assim que funciona: ir a pé até outro país.

Em um outro post, comentei os estudos sobre dependência tecnológica, empobrecimento da atenção e da habilidades sociais, só para te deixar mais por dentro e te fazer pensar antes de liberar abertamente os celulares e tablets para seus filhos.

Você pode acessá-lo clicando aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *