Forças Pessoais & Florescer

Tempo de leitura: 3 minutos

Finalmente chegamos à quarta e última postagem da série sobre Forças Pessoas e hoje o tema é Florescer.

Mas, primeiro, se você perdeu as postagens anteriores, sugiro que as confira retornando à página inicial do blog.

Como construir uma vida feliz?

Pode-se construir uma vida feliz nutrindo os componentes da virtude, que são as forças pessoais.

Reflita: quantas vezes durante a semana você foi generoso, quantas vezes por semana praticou gratidão ou apreciou a beleza?

Quando utilizamos nossas forças, temos a sensação de “este sou eu”.

As forças pessoais auxiliam a transpor as adversidades e ao utilizá-las, nos sentimos bem e revigorados.

Para uma vida feliz, precisamos criar projetos que girem em torno das nossas forças pessoais para que possamos colocá-las em ação e para que sempre tenhamos vontade de aprender mais para colocá-las em prática novamente.

Temos que nos tornar ótimos e excelentes naquilo que já somos bons. Não precisamos trabalhar nossos pontos fracos, temos que trabalhar os pontos fortes!

Uma das coisas que fazemos errado é querer construir uma vida feliz focando apenas em nossa fraqueza, tentando corrigir aquilo em que não somos bons, esquecendo de nossas qualidades e daquilo que fazemos bem.

Um olhar mais gentil para aquilo que nós fazemos bem é super importante para a construção da vida feliz, para que nos sintamos motivados e para que o nosso cérebro libere dopamina.

…e como é possível criar uma vida virtuosa por meio da nutrição diária das forças pessoais?

Através de atividades de ajuste de nossas forças pessoais.

É fundamental que possamos fazer uma lista de algumas atividades nas quais colocamos nossas qualidades em ação.

Após fazer essa lista, fazemos um diagnóstico para ajustar as atividades.

  • Essa atividade é natural? Continuarei a praticar porque acharei natural?
  • Gostarei? Continuarei a praticar porque vou gostar de fazer e acharei interessante?
  • Valorizarei? Continuarei a praticar porque é algo que mesmo que não seja completamente agradável?
  • Culpado? É uma atividade que vou fazer porque se não fizer me sentirei culpado?
  • Situacional? É uma atividade que farei porque se alguém vir que não estou fazendo me sentirei envergonhado?

Esse diagnóstico nos indica o caminho que devemos seguir.

As contribuições da Psicologia Positiva em relação a essas atividades que efetivamente nos auxiliam na construção do bem-estar são:

  1. Expressar gratidão;
  2. Cultivar o otimismo;
  3. Evitar comparações sociais;
  4. Cultivar relacionamentos interpessoais;
  5. Desenvolver estratégias para diminuir o estresse;
  6. Desenvolver estratégias para superação de adversidade;
  7. Aprender a perdoar;
  8. Praticar atividades desafiadoras que nos façam entrar em flow;
  9. Desfrutar de alegrias (pensamentos, diários, escrever);
  10. Comprometer-se com seus objetivos;
  11. Praticar a espiritualidade (meditação, igreja);
  12. Cuidar do corpo por meio de atividades físicas.

Integre essas atividades na sua vida. Você vai construir a sua vida com bem-estar.

Mas antes, descubra quais são suas qualidades.

Você pode fazer o teste de forças pessoais através dos questionários que indiquei anteriormente.

E como é possível florescer?

Felícia Huppert e Timoty Só, da Universidade de Cambridge, nos indicam que, para florescer, o indivíduo deve possuir todas as seguintes características essenciais e algumas das características adicionais.

1) Características essenciais:

  • emoções positivas;
  • engajamento/interesse;
  • sentido/propósito.

2) Características adicionais:

  • autoestima;
  • otimismo;
  • resiliência;
  • vitalidade;
  • autodeterminação;
  • relacionamentos positivos.

De acordo com Fredrickson e Losada (2005), florescer é a possibilidade de viver em uma variação ideal de funcionamento humano, que inclui forças pessoais, bondade e resiliência, ampliando a mente, construindo um futuro melhor e alimentando a resistência.

Para que o indivíduo melhore seu caráter, é preciso que ele identifique suas forças, além de usá-las repetidamente, percebendo seus progressos e refinamentos, dessa forma criando uma espiral ascendente.

Assim, há o crescimento do self e a ampliação de recursos cognitivos, sociais e emocionais.

Portanto, quanto mais a pessoa fizer isso, melhor se tornará naquilo que tais forças representam.

Ao perceber isso, o indivíduo consegue florescer.

Não é papel da Psicologia Positiva dizer que você deve fazer isso ou aquilo. O papel da Psicologia Positiva é mostrar quais os benefícios quando você cultiva tais atividades para a sua vida.

Martin Seligman

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.