O comportamento rebelde dos adolescentes

Tempo de leitura: 2 minutos

O comportamento rebelde de um adolescente e o sofrimento que é levado para a vida adulta, e que muitos vezes parece ser sem-sentido, muitas vezes é resultado de experiências da infância que nem sempre são percebidas como coisas tão graves assim. A boa notícia é que parte do que provoca isso pode ser evitado e mesmo combatido para que as crianças cresçam mais felizes e até menos rebeldes.
Comportamentos disfuncionais
Quando a personalidade está em formação, as experiências pelas quais o indivíduo passa acabam moldando seu comportamento. Segundo o pesquisador Jeffrey Young, sem ter consciência do que está lhe afetando, o indivíduo entra em um ciclo de auto-profecia em que suas ações vão levando a um momento em que o resultado é a tal tragédia anunciada. Seriam 5 áreas de disfunções que levariam a 18 comportamentos disfuncionais.

1. Desconexão e Rejeição – Ligada ao sentimento de frustração vivenciado pela pessoa com relação às expectativas de segurança, estabilidade, carinho, empatia, compartilhamento de sentimentos, aceitação e consideração.

2. Autonomia e Desempenho Prejudicados – Sentimentos de incapacidade experimentados pelo indivíduo no que tange à possibilidade de se separar dos demais conquistando a autonomia necessária para sobreviver de forma independente e com bom desempenho.

3. Limites Prejudicados – Possível de ser identificado pela deficiência nos limites internos, pela ausência de responsabilidade com os demais e/ou pela dificuldade de orientação para a concretização de objetivos distantes.

4. Orientação para o Outro – É um foco excessivo para os desejos e sentimentos dos outros em função da constante busca de obtenção de amor ou de se evitar a retaliação.

 
5. Supervigilância e Inibição – Referem-se ao bloqueio da felicidade, auto-expressão, relaxamento, relacionamentos íntimos e ao comprometimento da própria saúde devido à ênfase excessiva na supressão dos sentimentos, e das escolhas pessoais espontâneas.

Segundo Jeffrey Young, “Quando os pais e o ambiente social são ótimos, as crianças se desenvolvem de maneira sadia em todas as cinco áreas. Entretanto, quando o ambiente parental ou social não é ótimo, a criança pode desenvolver Esquemas Iniciais Desadaptativos em um ou mais desses domínios de esquema. Tais esquemas então persistem por toda a vida e tornam-se princípios organizadores do funcionamento cognitivo, emocional, interpessoal e comportamental do paciente.”

Como educadores não podemos garantir que tudo será ótimo o tempo todo, mas podemos atuar no campo da prevenção! A Educação Emocional Positiva trabalha exatamente nesse ponto, na criação de bons esquemas mentais que fortalecem os indivíduos para que eles possam estar mais preparados para os desafios da vida.
#educacaoemocionalpositiva

1 comentário


  1. Os nosso filhos estão cada vez mais rebeldes, e isso vem até mesmo de amizade ruim, por isso espiono o celular do meu filho com esse programa espião, ele é ótimo recomendo http://www.syncsoft.com.br

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.