O que acontece com o corpo quando sentimos alegria?

Tempo de leitura: 2 minutos

Imagine um dia sem nada em especial em que tudo está incrivelmente bom. O céu está azul, a temperatura agradável e tudo dá certo. Seu café da manhã tem alguma coisa a mais, que pode ser um bolo especial, um pão quentinho ou uma fruta bem suculenta, no caminho para o trabalho as pessoas estão mais simpáticas que o normal. O dia corre tranquilo até que, um pouco antes do almoço, você é chamado pelo seu chefe e descobre que será promovido.

Nesse momento o coração dispara de alegria. Você tenta segurar a vontade de rir e gritar aos quatros ventos, e agradece seu chefe pela oportunidade.Você sai da sala dele sentido que fez a coisa certa nos últimos meses, que seus esforços enfim foram recompensados. Você está até assoviando uma música!

Até que você passa tão distraído por um colega, que nem percebe que ele está tentando falar sobre um projeto que vocês estão trabalhando há tempo. Afinal, você está tão empolgado, que não consegue pensar em outra coisa que não seja comemorar. Neste mesmo dia, talvez você cometa alguns erros e seja um pouco arrogante com seus colegas…

Como escapar desta cilada?

Todos os acontecimentos da vida geram emoções que nos afetam de alguma maneira. Uma conquista profissional nos enche de alegria e deve ser comemorada! Mas nós precisamos ter equilíbrio para respondermos às emoções de forma positiva.

Da mesma forma que um acontecimento que gera alegria pode ter consequências ruins se não for bem direcionado, a tristeza, a raiva e o medo podem ser transformados para se tornarem produtivos.

O que vai definir a nossa reação é a nossa inteligência emocional, ou seja, a nossa capacidade de reagir mental e emocionalmente aos acontecimentos da vida. A boa notícia é que essa capacidade não é uma coisa que nasce com as pessoas, ela pode ser aprendida.

Educação Emocional Positiva

O programa Educação Emocional Positiva foi desenvolvido para nos ajudar a ser mais consciente sobre nossas emoções, nos tornarmos apto a lidar com as emoções perturbadoras e capazes de ter interações pessoais saudáveis.

Para saber mais

Esse texto foi inspirado na ferramenta interativa Atlas de Emoções, disponível no site atlasofemotions.org (em inglês).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.