O papel da atenção no cérebro

Tempo de leitura: 4 minutos

Atenção é algo que todos nós temos e utilizamos, mas não damos tanto valor. Portanto, é sobre ela que iremos falar hoje!

A importância da atenção

Você sabia que grande – se não a maior – parte das informações que chegam ao nosso cérebro não são processadas?

Isso acontece porque, apesar de nossos órgãos sensoriais captá-las, nosso cérebro as classifica como desnecessárias. Além do mais, nem teríamos a capacidade para processar tudo que chega até nós a todo o momento.

A atenção é super importante por conta disso: é ela que decide aquilo que o cérebro vai computar. Seleciona, dentro das circunstâncias, o que é relevante para nós no momento. Assim, nosso cérebro se fixa no item escolhido.

As funções do nosso cérebro

Antes de continuar, quero frisar que o cérebro é um órgão em evolução constante (são milhões de anos de aprimoramento!). Por conseguinte, é excelente em seu trabalho: nos ajudar a sobreviver e também a manter a homeostase do corpo, que é a estabilidade para realizar nossas funções adequadamente, perpetuando o equilíbrio do corpo.

A atenção, portanto, procura no ambiente estímulos que auxiliem o cérebro a preservar nossa própria vida.

Foco na sobrevivência

Nosso cérebro é um órgão que gosta muitíssimo de aprender, mas é bastante seletivo. Gosta de aprender somente o que tem valor para ele, ou seja, aquilo que crê que irá auxiliar na sobrevivência.

Sobrevivência que não é só física – afinal, não passamos todo o tempo procurando por água e comida. A sobrevivência aqui vai além, porque é social.

Esse pode ser um dos motivos de nos preocuparmos com o que pensam de nós!

Cérebro social

Se você me acompanha, sabe que eu reforço sempre que o cérebro é E-X-T-R-E-M-A-M-E-N-T-E social.

Um perfeito exemplo disso é que uma das melhores maneiras de sedimentar conhecimento é fornecendo diversos canais para o aprendizado – principalmente aqueles que promovem a interação.

Através do sentimento de conexão, o cérebro aprende de forma mais efetiva!

Mais uma coisa que queria compartilhar, a história de um congresso. Tive a oportunidade de assistir a uma palestra do neurocientista António Damásio, na qual ele perguntou à plateia o motivo de gostar de congressos.

A resposta prova tudo que acabei de dizer: auxilia na homeostase e fornece regulação social.

Como focar a atenção em nós

Nós, como profissionais da saúde e educação, temos como desafio demonstrar às pessoas que o conteúdo que está sendo exposto é, sim, algo que vai ajudá-las a sobreviver (física e socialmente) e, ainda, ajudar na homeostase.

Meu propósito com esta postagem é incentivar a repensar sessões de terapia ou posturas em sala de aula.

Sempre devemos usar a informação que temos sobre o funcionamento da atenção ao nosso favor e sempre devemos ter em mente tudo que podemos fazer para que o indivíduo compreenda que aquilo que dizemos tem valor e merece ser aprendido.

Dicas importantes para focar a atenção

  1. Apresentar um tema fazendo ligação com aquilo que a pessoa já conhece;
  2. Usar as emoções positivas a nosso favor. Elas são excelentes na ampliação de recursos cognitivos e também na quebra de possíveis distrações, retornando a pessoa ao foco original. Para promover as emoções positivas:
    • Fazer conexões e analogias com o conteúdo que o indivíduo já conhece;
    • Dar exemplos ajustados;
    • Criar um clima estimulante e agradável.

Enfim, o importante é que o que está sendo explanado faça sentido para quem está assistindo, pois isso é essencial para manter a atenção focada na apresentação.

Outra dica importante é usar e abusar dos jogos e desafios, já que são excelentes recursos para auxiliarmos a capturar e manter a atenção de quem nos ouve!

Exemplo: Vamos fazer um quiz? Responda verdadeiro ou falso.

  1. Nosso cérebro processa todas as informações que chegam a ele por meio dos sentidos?
  2. A atenção faz com que o cérebro se dedique ao que pode auxiliá-lo a manter a homeostase do corpo ou sua sobrevivência?

De atenção a atenção, vamos espalhando educação emocional!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *