Prevenção em saúde mental

Tempo de leitura: 2 minutos

Hoje, quero apresentar 4 conceitos básicos em termos de prevenção em saúde mental que todos nós, profissionais da saúde, educação, serviços sociais e recursos humanos precisamos saber.

Meu objetivo com este post é elucidar dúvidas, pois vejo, entre os profissionais acima citados, uma confusão entre os tipos de prevenção.

Tipos de prevenção

Quero falar sobre os 4 tipos de prevenção: universal, seletiva, primária e secundária.

Prevenção Universal

A prevenção universal trata-se de levar informação à toda população, visando o esclarecimento.

Qualquer pessoa pode falar neste tipo de prevenção, e é importante que falemos justamente para que seja criada uma consciência a respeito do tema.

Quando um artista ou figura pública aparece em alguma rede social falando sobre a importância de lavar as mãos para não transmitir o coronavírus, por exemplo, está fazendo um trabalho de prevenção universal.

Grandes campanhas que temos no país também são exemplos, pois levam informação à população em geral, tais como: Janeiro Branco, Setembro Amarelo, Outubro Rosa, Novembro Azul…

Seletiva

Dentro da prevenção seletiva, o apoio e a informação são para um grupo específico de pessoas.

Por exemplo: para prevenir o transtorno de estresse pós-traumático, dá-se apoio à famílias desabrigadas.

O conhecimento é levado a um grupo específico.

Primária

Já na primária, focamos em em treinar profissionais que têm muito contato com o público.

Nós já sabemos que as competências socioemocionais nos protegem contra uma série de problemas.

Assim, faz sentido treinar esses profissionais, visando a prevenção futura.

Treinamos e damos informações a profissionais como das áreas da educação, saúde, serviços sociais e recursos humanos, ou seja, que estão mais próximos de pessoas em sofrimento.

Dessa forma, esses profissionais são capazes de identificar emoções, ter técnicas de manejo de estresse, assertividade, etc.

Pense comigo: o educador é quem chega primeiro. Ele precisa ser capaz de diferenciar tristeza de depressão, de forma a encaminhar assertivamente o estudante para atendimento profissional.

É nesta etapa que entra o meu curso do Programa Educação Emocional Positiva.

A maioria da população se beneficia de estratégias de prevenção primária.

Secundária

Por fim, a prevenção secundária trata-se da intervenção em si, o atendimento especializado.

É fundamental que saibamos que casos que têm necessidade de intervenção não devem ser tratados com estratégias preventivas.

Utilizando o exemplo do professor, vamos imaginar que ele percebeu a automutilação no aluno.

Dessa forma, pôde encaminhá-lo assertivamente para uma psicoterapia, que é o atendimento especializado dado ao indivíduo, visando protegê-lo.

Resolvi trazer este post pois sei que esses conceitos não são muito difundidos.

E, na minha opinião, esse tema precisa estar no linguajar das pessoas, precisa ser inserido na cultura.

Por fim, reforço que precisamos ter ações ostensivas e sistemáticas de prevenção universal, seletiva, primária e secundária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.