Prevenção: fatores de risco

Tempo de leitura: 2 minutos

Hoje, continuando a nossa série sobre o setembro amarelo, quero trazer alguns fatores de risco de suicídio.

Abaixo, você confere os maiores fatores de risco e uma breve descrição de cada um deles.

1) Tentativa prévia: maior preditor de risco

O risco é maior ainda nos primeiros meses ou anos que precedem a primeira tentativa.

O grau de letalidade vai aumentando a cada tentativa, portanto a intervenção se faz necessária logo após o ato.

2) Transtorno mental: diagnosticado em 90% dos casos

Dominam os transtornos de humor (mais de 50%), tais como esquizofrenia, depressão e bipolaridade.

Também entram aqui os transtornos relacionados ao uso de substâncias (dependência química).

O adequado tratamento do transtorno é fundamental.

3) Fatores individuais

  • Uso prejudicial de álcool e outras substâncias;
  • Desesperança;
  • Presença de doenças ou dores crônicas;
  • Fatores genéticos e biológicos;
  • Histórico familiar de suicídio;
  • Aspectos relacionados à personalidade: a impulsividade está relacionada com comportamentos suicida, especialmente na adolescência – a maior parte dos suicídios nessa faixa etária não é planejada.

Pensamento dicotômico

Essa é uma distorção cognitiva que já abordei aqui.

Caracteriza-se pelo pensamento tudo ou nada, como por exemplo “Se eu não puder ter meu namorado de volta, não vale a pena viver”.

Existe uma acentuada polarização dos pensamentos.

Esses indivíduos têm maior dificuldade em encontrar soluções diante de uma situação.

4) Fatores sociais e ambientais

  • Desemprego
  • Doenças crônicas
  • Histórico de violência física ou sexual
  • Eventos negativos na vida do adolescente, tais como morte de pessoa amada, fim de relacionamento, opressão pelo grupo de identificação e comportamento autodestrutivo que busca aceitação dentro do grupo.

5) Fatores culturais

A sociedade pode funcionar como um fator de risco ou proteção.

É protetiva quando valoriza o ato de conversar sobre problemas e está propensa a mudar de opinião.

É de risco quando pedir ajuda é visto como um sinal de fraqueza.

6) Fatores ligados à idade, gênero e estado civil

a) Gênero

– homens dominam as taxas de suicídio;

– mulheres dominam as taxas de tentativa de suicídio;

b) Idade

– homens na faixa de 60 a 69 anos e acima dos 70;

– mulheres na faixa de 40 a 59 anos;

– idosos;

– jovens devem ter uma atenção especial, pois os números vêm crescendo a cada ano.

c) Estado civil

– ideação suicida é maior em pessoas separadas;

– suicídio é maior em viúvos, divorciados ou solteiros;

– separação ou viuvez geram muito sofrimento, além do fim de uma fonte de apoio sol.


Na próxima publicação, iremos falar sobre fatores de proteção ao suicídio.

Escute. Acolha. Encaminhe a um profissional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.