Principais informações sobre depressão

Tempo de leitura: 3 minutos

Hoje, quero trazer uma parte da folha informativa sobre depressão, publicada pela Organização Pan-Americana da Saúde.

A depressão é um transtorno comum em todo o mundo: estima-se que mais de 300 milhões de pessoas sofram com ele.

A condição é diferente das flutuações usuais de humor e das respostas emocionais de curta duração aos desafios da vida cotidiana.

Especialmente quando de longa duração e com intensidade moderada ou grave, a depressão pode se tornar uma crítica condição de saúde.

Portanto, ela pode causar à pessoa afetada grande sofrimento e disfunção no trabalho, na escola ou no meio familiar.

Ainda, na pior das hipóteses, a depressão pode levar ao suicídio.

Estatísticas da depressão

Primeiramente, quero dizer que cerca de 800 mil pessoas morrem por suicídio a cada ano.

Essa também é a segunda principal causa de morte entre pessoas com idade entre 15 e 29 anos.

Existem tratamentos eficazes conhecidos para depressão.

Contudo, menos da metade das pessoas afetadas no mundo recebe tais tratamentos.

Os obstáculos ao tratamento eficaz incluem:

  • falta de recursos;
  • falta de profissionais treinados;
  • estigma social associado aos transtornos mentais.

Outra barreira ao atendimento é a avaliação imprecisa.

Pessoas com depressão frequentemente não são diagnosticadas corretamente.

Além disso, outras que não têm o transtorno são diagnosticadas de forma inadequada, com intervenções desnecessárias.

Dessa forma, a carga da depressão e de outras condições de saúde mental está em ascensão no mundo.

Tipos de episódios depressivos

Um episódio depressivo pode ser categorizado como leve, moderado ou grave, a depender da intensidade dos sintomas.

Um indivíduo com um episódio depressivo leve terá alguma dificuldade em continuar um trabalho simples e atividades sociais, mas sem grande prejuízo ao funcionamento global.

Enquanto isso, num episódio depressivo grave, é improvável que a pessoa afetada possa continuar com atividades sociais, de trabalho ou domésticas.

Uma distinção fundamental também é feita entre depressão em pessoas que têm ou não um histórico de episódios de mania.

Ambos os tipos de depressão podem ser crônicos, com recaídas, especialmente se não forem tratados.

Transtorno depressivo recorrente

Esse distúrbio envolve repetidos episódios depressivos.

Nesse contexto, a pessoa experimenta um humor deprimido, perda de interesse e prazer e energia reduzida, levando a uma diminuição das atividades em geral por pelo menos duas semanas.

Muitas pessoas com depressão também sofrem com sintomas como:

  • ansiedade;
  • distúrbios do sono e de apetite;
  • sentimentos de culpa ou baixa autoestima;
  • falta de concentração;
  • sintomas que são clinicamente inexplicáveis.

Transtorno afetivo bipolar

Consiste tipicamente na alternância entre episódios de mania e de depressão, separados por períodos de humor normal.

Episódios de mania envolvem humor exaltado ou irritado, excesso de atividades, pressão de fala, autoestima inflada, menor necessidade de sono e aceleração do pensamento.

Por fim, ressalto que ter conhecimento sobre os mais populares transtornos mentais é fundamental, pois podemos reconhecê-los de forma mais rápida e ajudamos a acabar com o estigma social relacionado a eles.


Você pode conferir a folha informativa completa em https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5635:folha-informativa-depressao&Itemid=1095.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.