Resolução de problemas

Tempo de leitura: 4 minutos

Problemas todo mundo tem, e todos nós os enfrentamos diariamente. É por isso que o tema de hoje é resolução de problemas.

Problemas são fontes de estresse e, portanto, quando estamos diante de um, sabemos reconhecê-lo devido ao desconforto emocional que sentimos.

Para Nezu & Nezu (1995), um problema é a ligação que descreve o desequilíbrio entre a demanda e a disponibilidade de uma resposta adaptativa do indivíduo ao ambiente.

Os problemas podem ser “simples” ou complicados.

Na perspectiva infantil, decidir entre ir na casa da avó para ver uma tia querida ou ir a uma festa do pijama, ter posturas para se defender de colegas ou explicar-se de maus entendidos pode representar um grande problema e demandar grande parte de seu tempo.

Portanto, muitas vezes a criança pode preferir a evitação, o que impossibilita o aprendizado da habilidade em resolução de problemas.

Quando falamos em resolução de problemas, devemos pensar na resposta adaptativa para modificar a natureza da situação problemática.

As soluções eficazes são aquelas que, além de modificar a natureza da situação problemática, minimizam as respostas negativas e potencializam as consequências positivas.

Essas habilidades podem ser aprendidas e, uma vez que o indivíduo aprende, torna-se habilidoso encontrando soluções eficazes, diminuindo emoções perturbadoras.

Passo a passo para a resolução de problemas

Passo 1 – Identificação do problema

É importante a formulação, elucidação e compreensão da situação problemática de modo específico.

Passo 2 – Possíveis soluções

Levantamento de alternativas de soluções.

O que podemos fazer? As possíveis soluções devem ser seguras, saudáveis, respeitosas.

Passo 3 – Escolha

Entre as alternativas que levantamos e com as informações que temos no momento, escolher a melhor opção, comparando as opções disponíveis.

Passo 4 – Coloque em ação

Aplique a alternativa escolhida.

Passo 5 – Verifique o resultado

Avaliação da eficácia da escolha observando o resultado final.

Caso constate que a alternativa escolhida é ineficaz, é necessário retornar a etapa 2 para uma nova escolha.

Qual é a melhor solução?

Esses passos sistematizados de resolução nos ensinam que, para cada problema, não existe apenas uma solução, existem várias.

A melhor solução é aquela que nos atende no momento.

Precisamos compreender que um indivíduo emocionalmente saudável não é aquele que tem uma vida livre de problemas, mas sim aquele que se torna habilidoso em resolvê-los.

Depois de entender isso, conseguimos entender a importância desse treinamento para que possamos diminuir nossas angústias, ansiedade e fontes de estresse.

Muitas vezes nos afastamos da resolução de problemas, pois nos preocupamos em ter a melhor solução – no entanto, a melhor solução é aquela que colocamos em prática.

Nosso objetivo, como profissionais da saúde e educação, é de elucidar nossas crianças sobre a importância dessa habilidade.

Desse modo, conseguimos evitar que os problemas se tornem maiores devido à inexperiência de solucionar problemas.

Focar na solução nos faz ser assertivos.

Somos assertivos quando defendemos nossos direitos sem desrespeitar os direitos do outro.

Sugestão de atividades

Pode-se fazer uma lista de problemas e categorizá-los em diferentes graus de complexidade e, em seguida, ir resolvendo os conflitos seguindo uma hierarquia crescente de dificuldade.

Quando trabalhamos com crianças e adolescentes, queremos que tenham a oportunidade de aprender as etapas de resolução de problemas de modo prático.

Para isso, criamos alguns problemas para que eles possam resolver
seguindo os passos descritos acima.

Um exercício que deve ser incluído na rotina são os ensaios mentais.

Pede-se inicialmente que a criança e o profissional fechem os olhos e mentalizem todos os passos de resolução de problemas.

Em sala de aula ou em grupo, uma das técnicas usadas na resolução de problemas é a dramatização.

Podemos brincar de role play – troca de papéis – para a dramatização do problema e, em seguida, para a dramatização de todas as etapas de resolução.

Também já dei outros dois exemplos de atividades anteriormente. Você pode conferi-los clicando aqui.

Por que ensinar a resolução de problemas?

Nossa sociedade está vivendo constantes mudanças, que parecem nos fazer
perder algumas habilidades fundamentais para a relação interpessoal.

Crianças percebem algumas regras sociais que muitas vezes são contraditórias, seja na escola ou na família.

Isso se dá porque elas convivem com diferentes valores e se deparam com muitos problemas, até com a falta de percepção do outro.

Conviver hoje em dia está ficando cada vez mais difícil, principalmente porque as crianças não estão tendo tempo de brincar espontaneamente.

Elas têm seus horários preenchidos com atividades extra-curriculares e jogos em tablets.

Dessa forma, perde-se a oportunidade de aprender.

O brincar é fundamental para o aprendizado das habilidades sociais, inclusive a resolução de problemas.


Todo texto acima e todas as atividades que citei, além de muitas mais, estão disponíveis dentro do meu e-book gratuito “Resolução de Problemas”.

Você pode fazer o download para tê-lo sempre com você clicando aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.